segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

O Cavaleiro das Trevas Ressurge


Logo que assisti o filme Cavaleiro das Trevas Ressurge ia postar aqui no Robiscos o que achei do filme, assim como fiz com o Espetacular Homem Aranha e como pretendo fazer com vários outros filmes.

Mas, não me senti motivado, nem tive vontade de escrever de fato sobre. Afinal, estava uma discussão sem fim entre pessoas que adoraram e que odiaram e não queria tornar os comentários um campo de batalha.


Passado agora uns meses e com o lançamento do filme em versão DVD/Blu-ray acho que é um bom momento de colocar minha opinião não só sobre esse filme específico, mas a história que começou lá em 2005 com o Batman Begins.

Uma coisa é certa, não saí nem um pouco decepcionado com o filme quando acabou a sessão.  Tem alguns anos que pratico uma coisa em relação a filmes que estão no hype. Deixo minha expectativa muito, mas, muito baixa mesmo com relação aos filmes.
Vi o Cavaleiro das Trevas, achei espetacular e sei que seria querer demais que o terceiro filme fosse melhor... do mesmo nível? Sim. Melhor? Não. Ainda mais por termos um personagem icônico como o Coringa em um filme e no outro não ter ninguém com a mesma força.

Sinceramente acho que quem foi achando que teria um filme muito superior se decepcionou mesmo, não pelo filme ser ruim, só que por ter uma expectativa alta demais e em cinema uma coisa que não se pode ter, é expectativa alta demais. Aprendi isso na estréia de Star Wars Episódio 2 e desde então é minha filosofia.

Christopher Nolan - diretor da trilogia Batman
Agora o que deixa muita gente torcendo o nariz foi que Christopher Nolan conseguiu dar um desfecho para a saga de Bruce Wayne. Ele teve coragem de fazer o que ninguém teve antes. Ele escreveu a versão dele do Homem Morcego e nessa versão a história acaba. E é um final feliz e isso de certa forma incomoda os fãs depois de quase 70 anos de Batman depressão.

Meu personagem preferido é o Batman e uma coisa que gostei da abordagem dos filmes foi deixá-lo mais humano. Nos gibis há quase 2 décadas resolveram tornar o Batman um super tudo. Qualquer coisa que um ser humano possa fazer ele também pode, isso em qualquer área, seja física, seja intelectual. Isso acaba sendo usado pelos autores muitas vezes sem critério algum.

Todos sabemos que por mais dedicado que alguém seja, ele não consegue a plenitude em todas as áreas. Se analisarmos do ponto de vista humano o Batman apesar de não ter super poderes, pode ser considerado sim um super herói, por usar todas as suas capacidades ao extremo e com perfeição, algo além de um humano normal.
cena do filme "Batman Rises"
Nos filmes ele é obstinado, inteligente, sagaz, bem treinado, mas passível de erros, de tropeçar  "para aprender a levantar" e que evolui como personagem conforme acerta e erra. Tem aliados para auxilia-lo de forma mais crível com seus inventos e mostra ter coração e se importar de fato com as pessoas se tornando o "herói que as pessoas precisam" e não o que elas querem.

"Batman Begins ; Batman The Dark Knight ; Batman Rises"

E Cavaleiro das Trevas Ressurge, vemos um Bruce Wayne destruído, como pessoa, como herói, que resolveu levar a culpa por tudo que aconteceu de ruim com os planos do Coringa e 8 anos após isso, se vê forçado a voltar a ativa para enfrentar um inimigo que pensou estar derrotado.


"Anne Hathaway, como Selina Kyle "

Nesse meio tempo mordi minha língua, pois, tinha certeza que  Anne Hathaway seria um decepção como Selina Kyle (nome da personagem da Mulher Gato) e ela deu um show, trazendo toda a dubiedade que a personagem pedia.
Foi uma grata surpresa.


"Tom Hardy, como Bane"

Tom Hardy, de Bane conseguiu trazer dignidade para um personagem porcaria oriundo de uma das fases mais caça níqueis do Batman nos quadrinhos. E mesmo sem mostrar o rosto, conseguiu trazer a força que o oponente do herói precisava demonstrar neste capítulo.


"John Gordon Levith, como John Blake"
John Gordon Levith, como o policial John Blake que começa a ver as coisas de modo diferente e se torna um aliado para o comissário Gordon e do próprio Batman foi uma ótima aquisição para o elenco e para o enredo, sendo por muitas vezes a bússola moral que o Batman precisa para não acabar passando dos limites.

Engraçado que vi muita gente que diz não gostar do Superman, adorar o John Blake uma pessoa que tem a personalidade muito parecia com a do próprio Clark Kent.


Heath Ledger em "Batman The Dark Knight"
Esse filme só tem um ponto baixo que é ignorar quase totalmente o segundo filme, eles mencionam o Harvey Dent, a morte de Rachel, a lei contra os mafiosos, mas por um preciosismo com o falecimento de Heath Ledger deixaram de lado alguma menção ao Coringa e que a cidade finalmente entrou no caos que ele esperava.

Se você como eu não se importa que adaptem um personagem para as telas desde que não perca sua essência com certeza vai gostar de " O Cavaleiro das Trevas  Ressurge" que fecha de maneira competente a saga.

Uma coisa, para entender melhor o filme, assista de novo Batman Begins, esse 3º filme é fortemente ligado ao primeiro filme.




2 comentários:

  1. Nossa adorei seu ponto de vista sobre o último Batman, e concordo plenamente com o que vc escreveu, tbm acho que o Batman precisava que um lado mais humano coisa que eles não mostraram nos filmes anteriores e por isso esse batman se tornou tão épico, nenhuma nova adaptação do batman será tão perfeita como essa do Nolan, fiquei um pouco triste com o final pq como fã sempre queremos que o filme nunca acabe, mais esse final esta perfeito.

    ResponderExcluir
  2. a cena que tem o espantalho "julgando" as pessoas, acredito que seria para o coringa...

    ResponderExcluir